A partir de hoje, Brasília recebe a quinta edição do Na Praia

Evento une música, gastronomia, lazer e esporte

Desde Juscelino Kubitschek, o Lago Paranoá foi pensado para ser a praia dos brasilienses. A vocação da região para lazer e eventos se confirma a cada ano. Esse foi o conceito que deu início ao Na Praia, que completa cinco anos em 2019. O projeto, que tem ares de festival, reúne atrações musicais nacionais e locais com atividades esportivas e de lazer e com a boa gastronomia, tudo isso em uma praia artificial construída com 2,910 toneladas de areia, que depois são doadas para revitalização de parquinhos do Distrito Federal.

Este ano, o evento celebra o México. Os produtores viajaram durante 20 dias pelo país da América Central para buscar inspirações que vão desde a cenografia até as festas e a culinária. Frida Kahlo, Nossa Senhora de Guadalupe, os lutadores de luta livre e as pirâmides maias, símbolos mais conhecidos da cultura mexicana, são destaques nos 34 mil metros quadrados da estrutura montada às margens do Lago Paranoá, na Vila Planalto.

Ao todo serão 43 dias de programação divididos entre as quintas, sextas, sábados e domingos, até 8 de setembro, com ingressos que vão de R$ 51 a R$ 251. A abertura será nesta sexta-feira (28/6), com a presença da cantora IZA e dos DJs Pedro Sampaio e Santti. Durante o período, o evento recebe ainda grandes nomes da música nacional, como Zeca Pagodinho, Jorge & Mateus, Diogo Nogueira, Durval Lelys e Anitta. Também estarão escalados artistas locais, a exemplo de Adriana Samartini, das DJs Rivkah e Any Borges e da banda de rock Timeout, formada por sete jovens com autismo.

Sustentabilidade

Desde 2017, o Na Praia é reconhecido como o maior evento lixo zero do mundo e aposta em diferentes pilares da sustentabilidade. No ano passado, enviou apenas 2,08% de resíduo recolhido durante a edição para o Aterro Sanitário de Samambaia. “O resto é insumo para uma nova cadeia de valor. O vidro que não serve mais vai para uma outra cadeia, a de reciclagem. O descartável compostável vai para uma outra cadeia, a do adubo. Então a gente vai conectando os pontos e vai fazendo o lixo zero acontecer”, explica o coordenador de sustentabilidade da R2 Produções e sócio, Francisco Nilson, o Chicão.

O evento também faz um inventário de emissões de gases de efeito estufa, o que não pode ser reduzido, é feito uma compensação ambiental. Em anos anteriores, o Na Praia fez plantio de mudas e restauração de cerrado. Neste ano, serão feitos créditos de carbono certificados pela ONU e, paralelamente, há uma estratégia de biodiversidade. “Não abandonamos o projeto de ajudar e dar uma contribuição significativa para restaurar a Bacia do Descoberto”, complementa.

Em parceria com o programa Mesa Brasil, do Sesc, o evento faz o recolhimento de quilos de alimentos que são arrecadados com o público que paga a meia-entrada dos shows. Nas quatro edições, foram recolhidos o equivalente a um milhão de refeições, e a meta só em 2019 é de arrecadar 750 mil refeições, cerca de 150 toneladas de alimentos.

Vizinhança

Um dos grandes desafios do Na Praia está relacionado aos ruídos. Motivo de constante reclamação da vizinhança, o evento preparou, para esta edição, barreiras acústicas de mais de sete metros para tentar conter a propagação do som. “Temos um diálogo desde 2017 com os vizinhos, a gente explica o que vai acontecer. Tenta, ao máximo possível, reduzir o impacto e compensar o que não pode ser reduzido. A gente compensa convidando a comunidade a participar do nosso evento. Oferecemos o acesso aos moradores de alguns condomínios da região para que possam entender o projeto”, explica.

Uma ação civil pública foi movida pelo proprietário dos condomínios da região. Ela visa à interdição das atividades, no entanto, o juiz que analisa o caso deu até terça-feira para que as partes se manifestem. “O magistrado ainda não está com convicção formada e, só após as manifestações, tomará uma decisão. Acredito que ela saia até semana que vem. Mas está tudo certo para amanhã (nesta sexta-feira — 28/6)”, afirmou o advogado do projeto Na Praia, Fabrício Rodovalho, que garantiu a inauguração do evento.

Programação completa

Quinta cultural
» 4/7 Legião Urbana
» 11/7 Falamansa
» 18/7 Lulu Santos
» 25/7 Nando Reis e Roberta Campos
» 1º/8 Diogo Nogueira
» 8/8 Roupa Nova
» 15/8 Djavan
» 22/8 Alceu Valença
» 29/8 Capital Inicial
» 5/9 Zeca Pagodinho

Sexta
» 28/6 Iza, Pedro Sampaio e Santti
» 5/7 Cat Dealers e Doozie
» 12/7 G15 e Liu
» 19/7 Kvsh e Evokings
» 26/7 UP CLUB: Soldera, Illusionize, MK Jay
» 2/8 FP do Trem bala e Poesia Acústica
» 9/8 Festa Fechada
» 16/8 Mc Don Juan e Lagum
» 23/8 JetLag e Matheuzinho
» 30/8 Gaab e Dj Zullu
» 6/9 Hugo e Guilherme e Safadão

Sábado
» 29/6 Gusttavo Lima e Cesar Menotti & Fabiano
» 6/7 Saulo e Sorriso Maroto
» 13/7 Festa dos Mortos (Xand Avião, Anitta, DJ Shark e DJ Rivkah)
» 20/7 Zé Neto e Cristiano, Léo Santana e Luan Santana
» 27/7 Baile da Tequila (Kevinho, Kekel, Yuri Martins, Kevin, o Chris, Zaac)
» 3/8 Henrique e Juliano, Dennis DJ e DJ MOJJO
» 10/8 Família Petrillo: Alok, Bhaskar, Swarup e Ekanta
» 17/8 Bell, Durval e DJ Tartaruga
» 24/8 Marília Mendonça e Felipe Araújo
» 31/8 Harmonia do Samba, Timbalada, Parangolé e FitDance
» 7/9 Jonas Esticado, Jorge e Mateus e Ralk

Domingo
» 30/6 Banda Eva e Mumuzinho
» 7/7 Falcão (Ex-O Rappa)
» 14/7 Dilsinho
» 21/7 Denny Denan (Ex-Timbalada) e Rafa e Pipo
» 28/7 Cheiro de Amor
» 4/8 Tuca Fernandes
» 11/8 Bloco do Silva
» 18/8 3030
» 25/8 É o Tchan
» 1º/9 Raça Negra