Pesquisar
Close this search box.

As tendências de moda de carnaval e a expectativa de vendas para o feriado

Com máscaras coloridas, chapéus, saias de tule e paetês, além de muito brilho, o


Com máscaras coloridas, chapéus, saias de tule e paetês, além de muito brilho, o comércio já está pronto para receber os consumidores para se prepararem para o carnaval

O feriado de Carnaval já está chegando e os foliões já estão montando os looks e fantasias para curtir. Esse ano a folia será nos dias 10, 11, 12 e 13 de fevereiro. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejista), as vendas de roupas, fantasias, adereços e outros produtos para o carnaval no Distrito Federal devem subir este ano 3,7%, contra 2,9%% do carnaval de 2023.

Com máscaras coloridas, chapéus, saias de tule e paetês, além de muito brilho, o comércio já está pronto para receber os consumidores para se prepararem para o carnaval. No TaguaCenter, várias lojas de fantasias e acessórios já aguardam uma grande movimentação para o início de fevereiro. A lojista Fabiana Luíza Parecida, costuma procurar as tendências no Instagram, para poder confeccionar os adereços que vende na loja de fantasia. “Os brincos personalizados, tiaras, ombreiras sempre vendem bem. O pessoal sempre busca opção mais em conta para montar o look”. Para ela, a movimentação vai aumentar no começo de fevereiro, nos dias antes do carnaval. “O povo deixa tudo para última hora”.

Sabrina Dias, funcionária de uma loja de fantasias infantil, acredita que a partir da semana que vem, haja um aumento nas vendas. “A procura das fantasias e acessórios que sai bastante no começo do mês, nos dá a expectativa de melhorar mais um pouco, porque sempre no começo do mês aumenta mais a procura”. As fantasias que os pais costumam comprar, que Sabrina acredita, serem as mais procuradas da loja, são as fantasias de anjos e de personagens de filmes.

A bancária Vânia Pinto Ferreira, 53 anos, já está em busca de uma fantasia para usar nesse carnaval. Ela nasceu no Rio de Janeiro, e mora em Brasília há 15 anos. “Eu gosto do carnaval aqui. Assim, eu também já não estou mais naquele ritmo de folia, igual eu estava quando eu era adolescente, mas eu gosto muito”. Ela e a amiga estavam planejando ir para blocos de carnaval, como o Pacotão, e estavam em busca de adereços. “Eu já falei com minha amiga de ombreira, ela está na dúvida aqui de ombreira. Parece que está em alta”. Vânia sempre gosta de usar diadema de flores, e de cores alegres. “O carnaval tem que ser colorido”.

Saira Santos, 22 anos, atendente, veio a loja de fantasia a procura de acessórios para uma festa infantil, mas acabou se interessando pelas fantasias de marinheiro e de policial. “Como eu não sou de sair muito no carnaval, esse ano eu decidi que se eu for sair, vai ser com uma fantasia”. Ela costuma descansar no feriado, mas esse ano para ela, o clima de carnaval está bem propício para curtir.

O jornalista Bruno Manhago, 45 anos, está em busca de uma fantasia de pantera negra para o carnaval. Ele sempre se veste a caráter para curtir o feriado, e costuma inventar os looks que usa. “Eu tenho uma bolsa enorme, só com fantasia, que todo ano sempre eu compro algum adereço, alguma coisa assim, e aí eu vou juntando nessa bolsa”. Mas esse ano, ele pensou na fantasia do super herói, para usar em dupla com uma outra pessoa. Esse ano, ele vai passar o carnaval em Salvador, mas agora que as produções de fantasias e adereços estão aumentando em Brasília, ele está aproveitando para comprar a fantasia por aqui mesmo.

Em alta neste carnaval

Gabriela Corezzi Werneck é Idealizadora e diretora criativa da Sobres, uma marca de roupas especializada em moda de carnaval. Esse ano, a coleção de carnaval da marca se chama “Tem Dendê” – Cores e amores do Carnaval da Bahia, e foi inteiramente inspirada na cultura do carnaval baiano. As apostas de Gabriela como tendências de moda para o carnaval de 2024, são as peças feitas à mão, em materiais como as miçangas, que podem aparecer em bijuterias, tops, saias e até calças. “As miçangas estão com tudo e podem ser adicionadas tanto em looks para um carnaval chique, em cores como o prateado, perolado e transparente, como em looks divertidos e despojados, usando miçangas coloridas em vários tamanhos e formatos”, destaca.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ela acredita que as jóias de corpo em correntes e pedrarias, já estão no radar desde o ano passado, mas continuam em alta. Além disso, ela explica que os grandes volumes como flores e laços em 3D, luvas com grandes babados e muitas franjas também são as escolhas de quem gosta de maximalismo. Outras tendências para as fashionistas são o crochê divertido e peças usando pelúcias. “Mas no fim, o que importa é você se sentir bem com o look escolhido e estar confortável para curtir a folia”.

Jéssica Amorim, é especialista em moda, e dona do A.MO Brechó e uma das sócias da Balaio Brechó Colaborativo. Para ela, as tendências para o carnaval não fogem muito das trends que já vem sendo divulgadas por todos os lados. “Muito tule para o verão, para o carnaval e para usar e abusar em várias ocasiões”. Ela também aponta que os laços são uma outra tendência que está vindo com tudo e pode ser usado de várias formas para completar as fantasias e looks pro carnaval. “Biquínis são também uma peça chave para montar os looks para a folia, dá para brincar bastante misturando estampas e brincando com as cores, adicionando também peças com franjas e babados”. Além disso, ela acrescenta o brilho, peças em paetês e lurex como indispensáveis para pular o carnaval.

A empresária também afirma que existe muita procura por peças em brechós, para completar as fantasias, acessórios e também para quem quer sair do mesmo e inovar usando looks diferentes e estilosos. “O mais legal é saber que além de garantir uma peça única e cheia de histórias, quem garimpa também apoia a moda circular”.

Expectativa de aumento das vendas

Segundo o Sindivarejista, o comércio vem se estocando para a folia desde dezembro. Os foliões vão para desfiles de blocos e escolas de samba, e ainda para bailes carnavalescos.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O presidente do Sindivarejista, Sebastião Abritta, considera que os cartões de crédito e de débito devem responder por 74% do pagamento das compras para a folia. “O consumidor quer mais prazo para pagar as despesas, o que é natural”, observou. Para Abritta, o carnaval está enraizado na cultura brasileira, o que é positivo para o comércio. “O carnaval gera empregos e renda em diversos setores da economia”, explica.

O empresário Paulo Milano, dono de uma rede de lojas de aviamentos e adereços carnavalescos, está otimista quanto às vendas. Ele acredita que a partir do dia 1º de fevereiro, as vendas tendem a crescer ainda mais. “Esse ano, as pessoas estão procurando muitos acessórios como ombreiras, franjas e adereços de cabeça. Os campeões de vendas são geralmente os super-heróis”. Mas ele acredita que as fantasias customizadas estão vindo com força neste carnaval.



Fonte: JBR

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.