Pesquisar
Close this search box.

Audiência pública vai debater concessão de terreno para construção da Fundação Cultural Athos Bulcão

Se estivesse vivo, nesta terça-feira (2) o arquiteto Athos Bulcão completaria 106 anos. Autor


Se estivesse vivo, nesta terça-feira (2) o arquiteto Athos Bulcão completaria 106 anos. Autor de mais de 260 obras integradas à arquitetura do Quadradinho – entre elas os azulejos da Igreja Nossa Senhora de Fátima e a quadra-modelo 308 Sul -, o artista tem um legado vivo que pode ganhar um novo espaço de presente, com a construção da Fundação Athos Bulcão. O tema será debatido em audiência pública no dia 12 deste mês, às 11h, no auditório do Museu Nacional da República.

A sessão será promovida pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF (Secec) e vai discutir a concessão de um terreno localizado no Setor de Divulgação Cultural (SDC) para a construção da Fundação Athos Bulcão. A futura sede definitiva, se aprovada, contará com projeto arquitetônico de João Filgueiras Lima, mais conhecido como Lelé, um grande colaborador de Athos e arquiteto responsável por projetar os hospitais da rede Sarah Kubitschek.

O legado de Athos Bulcão continua vivo e poderá ganhar um espaço próprio, com a sede definitiva da fundação que leva o nome do artista plástico | Foto: Divulgação/ Fundação Athos Bulcão

“A Fundação Athos Bulcão tem um papel fundamental na preservação do patrimônio cultural do Distrito Federal. Athos foi um dos artistas mais importantes a trabalhar na construção da cidade e a Fundação, como herdeira de seu legado, merece contar com uma sede própria no eixo monumental, próximo a outros equipamentos culturais”, aponta o secretário de Cultura e Economia Criativa, Claudio Abrantes.

As ruas são os museus

O subsecretário de Difusão e Diversidade Cultural da Secec, Felipe Ramón, pontua que o objetivo da audiência pública é ouvir a sociedade civil acerca da concessão do terreno, para saber se a população concorda com a outorga e garantir que não haverá concorrência ou licitações da propriedade.

“A fundação é privada e o terreno é público, por isso é necessária essa audiência”

Felipe Ramon, subsecretário de Difusão e Diversidade Cultural

“A fundação é privada e o terreno é público, por isso é necessária essa audiência. Mas, além de ser uma ferramenta de transparência, a sessão pública também terá como papel apresentar a intenção da fundação, mostrando o que eles pretendem construir ali”, explica Ramón. Ele também frisa que o artista homenageado é um ícone da arte brasileira e parte fundamental do processo de construção da cidade.

Atualmente a Fundação Athos Bulcão é um espaço alugado, localizado na W3 Sul. A secretária-executiva doa instituição, Valéria Cabral, explica que a demanda de uma sede nova e maior vem desde 2009 e busca oferecer para a cidade um museu do artista plástico, além de incorporar galerias de outros artistas.

“O intuito de um novo local é oferecer um espaço mais digno para o artista, assim como outros colaboradores da história e cultura de Brasília. Athos Bulcão tirou as obras dos museus e as colocou nas ruas para serem vistas por toda a população. É um legado de obras lúdicas, coloridas, simples e ao mesmo tempo elegantes. As crianças adoram e conseguem reproduzir por serem formas geométricas acessíveis para qualquer pessoa. E são artes familiares, porque estão nas residências, nas ruas da cidade e nos nossos caminhos”, afirma a gestora.



Fonte: Agencia Brasília

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.
Pesquisar
Close this search box.

BUSCAR

MENU