Pesquisar
Close this search box.

Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais já atendeu mais de 8 mil pessoas

Dentro do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) funciona o Centro de Referência de


Dentro do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) funciona o Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (Crie), um espaço destinado a pessoas de diversas idades, portadoras de quadros clínicos especiais como alergias e baixa imunidade. Desde a sua inauguração, em dezembro de 2023, o local já prestou mais de 8 mil atendimentos. São 5,5 mil doses de imunobiológicos aplicadas e mais de 3 mil pacientes assistidos.

Vacinação fortalece o sistema imunológico e pode reduzir o risco de complicações | Foto: Jhonatan Cantarelle/Agência Saúde-DF

A diretora do Hmib, Marina Araújo, explica que o centro reforça o status do hospital como unidade de referência distrital. “É um serviço que amplia essa característica ao oferecer assistência de qualidade, focado no cuidado e na humanização”, afirma.

Com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, o Crie é voltado a indivíduos com condições especiais não estáveis ou extremamente alérgicos que precisam receber vacinas em ambiente hospitalar. “São pessoas portadoras de imunodeficiência congênita, transplantados, soropositivos para o HIV [sigla em inglês para o vírus da imunodeficiência humana], cardiopatas, alérgicos, entre outros. Todos precisam de diferentes esquemas de imunização”, detalha a gerente de Rede de Frio da Secretaria de Saúde do DF (SES), Tereza Luiza Pereira.

Mais acesso

Para a chefe do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia (NHEP), Dailana Borges, a implementação de um Crie único no Distrito Federal visa à qualidade e à universalidade da assistência em relação à imunização. “O centro garante a equidade do acesso a indivíduos mais vulneráveis, não inseridos em estratégias de campanha e rotina de vacinação”, diz.

Tereza Luiza Pereira afirma que o espaço permite ainda condutas individualizadas. “Se alguém tomou uma vacina na UBS [Unidade Básica de Saúde] e teve um evento grave, como hospitalização, precisa passar por análise e descobrir se foi de fato o imunizante que causou a situação. Em caso positivo, o centro irá buscar uma vacina feita com outro componente para aquele paciente”, explica.

O Crie opera com uma equipe técnica composta por médico, enfermeiro e técnico/auxiliar de enfermagem, devidamente habilitados para desenvolver as atividades.

*Com informações da SES



Fonte: Agencia Brasília

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.
Pesquisar
Close this search box.

BUSCAR

MENU