Chef Ian Baiocchi apresenta Cerrado brasileiro na Expo 2020, em Dubai

Tem brasileiro fazendo sucesso na “gringa”! Representante da gastronomia artesanal e do Cerrado brasileiro, o chef goiano Ian Baiocchi participou nesta semana da Expo 2020, maior exposição mundial desde o início da pandemia, realizada em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Com inovações em diversos setores de mais de 190 países do mundo, o evento teve início no último dia 1º e será realizado ao longo dos próximos seis meses.

O chef goiano foi convidado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para ministrar um cooking show nessa terça-feira (7/12), com receitas que representam o bioma do Cerrado.

“É uma grande honra representar o Brasil, representar o Cerrado, que é a nossa casa e é um lugar tão infinitamente rico. A ideia é mostrar para todos o quanto os alimentos do Cerrado proporcionam experiências culinárias únicas”, afirma Ian.

A ação tem como objetivo mostrar a biodiversidade do Brasil, esclarecer a origem e os benefícios dos alimentos produzidos e promover as exportações de alimentos e bebidas do País. E o desafio dado ao chef Ian foi o de incluir nas suas receitas com ingredientes do Cerrado, algo da culinária dos Emirados Árabes Unidos, para evidenciar como é possível usar os alimentos produzidos no Brasil no cotidiano de outros países.


0

Para o evento, Ian elaborou um menu composto por Bombom de queijo e marmelada de Santa Luzia e Baguete com flor de sal como entrada. No prato principal, Cupim braseado, com caramelo de banana, tartar de vegetais com couve e farinha de milho. Finalizando as etapas, Pistachella, feita à base de pistache, com baru caramelizado, crocante de broa de milho e sorvete de milho verde.

“A marmelada Santa Luzia é produzida a partir de marmelo. É um produto típico da cidade goiana de Luziânia, anteriormente chamada de Santa Luzia. A marmelada Santa Luzia é um doce centenário goiano, cuja cultura e receita foram transmitidas de geração em geração. Já a castanha de baru é um fruto nativo do Cerrado, da árvore Baru e possui um sabor único e excelentes qualidades nutricionais, rico em vitaminas e muito utilizado para fins medicinais, cosméticos e na culinária brasileira. E o cupim é proveniente da corcova do gado Zebu Brasileiro. Trata-se de um corte de carne tenro, rico, desossado e marmorizado”, explica Ian sobre a escolha dos ingredientes para o menu.

A demonstração de Baiocchi foi realizada no Pavilhão Brasil e a programação ainda contou com uma cozinha de fusão, na qual o chef goiano cozinhou em parceria com o chef do Pavilhão do Chile, e que pode ser vista nas mídias sociais do Pavilhão do Brasil.

Além de Ian Baiocchi, foram convidados os chefs Rodrigo Oliveira, Thiago Castanho e Guga Rocha, que representaram o os outros biomas do país.

O post Chef Ian Baiocchi apresenta Cerrado brasileiro na Expo 2020, em Dubai apareceu primeiro em Metrópoles.