Começa a aplicação da vacina da Pfizer/BioNTech

São três imunizantes utilizados na capital federal e todos possuem eficácia e segurança comprovadas

A Secretaria de Saúde começou a utilizar a vacina da Pfizer/BioNTech na manhã desta segunda-feira (10). O imunizante será aplicado em pontos estratégicos em todas as Regiões de Saúde. A pasta não irá divulgar esses locais e reforça a importância de a população buscar a vacina independentemente da marca.

“Iniciamos o uso da vacina da Pfizer e, mais uma vez, peço para aqueles que estão no grupo de risco contemplado com a vacina que agende o atendimento ou, no caso dos idosos, que procurem um dos 55 pontos e vacinem-se. Não importa qual vacina é oferecida, o importante é se vacinar e garantir a proteção”, recomenda o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, que lembra que a pasta está em campanha de conscientização para que a população não escolha qual vacina receber e aceite a que o ponto de vacinação oferece.

Os três imunizantes disponibilizados no Brasil possuem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem aplicados e garantem proteção contra a covid-19.

Preparo

Diferentemente das vacinas CoronaVac e AstraZeneca, a Pfizer/BioNTech deve ser armazenada a temperatura negativa de -65 graus e, antes de ser aplicada, deve ser diluída e agitada. Todo esse processo é bem específico e cuidadoso para que a vacina seja bem preparada.

As equipes de vacinação vêm sendo treinadas desde janeiro para manusear e preparar a vacina. Após aberto, o frasco deve ser utilizado em até 6 horas.

A seringa utilizada é mais fina e diferente das utilizadas nas outras vacinas contra a covid-19. O volume aplicado também é menor, 3 ml. Para efeito de comparação, nas vacinas CoronaVac e AstraZeneca o volume aplicado é de 5 ml.

*Com informações da Secretaria da Saúde