Pesquisar
Close this search box.

GDF lança Programa ‘Direito Delas’, em reestruturação ao Pró-Vítima

Projeto surge com objetivo de oferecer atendimentos social, psicológico e jurídico às vítimas diretas


Projeto surge com objetivo de oferecer atendimentos social, psicológico e jurídico às vítimas diretas de violência

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), assinou, nesta quarta-feira (29), o decreto para lançamento do Programa Direito Delas, no Salão Branco do Palácio do Buriti. O projeto, de autoria da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), surgiu da reestruturação do Programa Pró-Vítima. Por meio da iniciativa, o Governo do Distrito Federal (GDF) visa oferecer atendimentos social, psicológico e jurídico às vítimas diretas de violência e seus familiares.

O Direito Delas, nasceu da frase: “Todas as vítimas têm direito a romper com o ciclo da violência, esse é o Direito Delas”, frisou a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani. O programa, além de atender as mulheres vítimas de violência doméstica, também acolherá idosos que sofreram agressões, sejam elas físicas ou psicológicas, crianças e adolescentes de sete a 14 anos que foram vítimas de estupro de vulnerável e pessoas em geral que vivenciaram crimes violentos.

Os familiares das vítimas de violência também serão amparados pelo programa. A Sejus, disponibilizará de forma gratuita nos Núcleos de Atendimento Direito Delas, uma equipe técnica multiprofissional, com assistentes sociais, psicólogos, servidores especialistas em Direito e Legislação e profissionais da área administrativa. Para conseguir atendimento, as vítimas não precisam apresentar comprovação de hipossuficiência econômico-financeira.

Ao contrário do esperado, Ibaneis abriu mão da sua fala na solenidade, deixando para a vice-governadora Celina Leão (PP) a responsabilidade de representar o GDF. Em discurso, Celina falou sobre o empenho do governo no combate à violência doméstica: “O governo do Distrito Federal não tem parado e todas as nossas pastas estão empenhadas no combate à violência contra a mulher. A nossa meta é combater qualquer tipo de violência para que não se torne um feminicídio”.

Na ocasião, a Sejus, também lançou uma cartilha orientativa com os locais onde as vítimas podem encontrar atendimento especializado. “Algumas ações são simples, mas assertivas, como é o caso da cartilha. Com a mudança do Pró-Vítima para Direito Delas nós vamos deixar de ter um projeto incompleto, nós precisamos emancipar essas vítimas, ou seja, nós precisamos que elas deixem de ser vítimas, e com isso, a gente precisa de um programa que tenha atendimentos psicológico, social e jurídico. Para assim termos um programa completo”, declarou a secretária Passamani.

Acordo com OAB-DF

Além do decreto, também foi assinado Acordo de Cooperação Técnica (ACT) entre a Sejus e a Ordem dos Advogados do Brasil – do DF (OAB/DF) com foco em expandir o atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica, assistidas pelo Direito Delas.

A OAB-DF disponibilizará advogadas voluntárias, iniciantes ou participantes da Fundação de Assistência Judiciária (FAJ – OAB/DF) para prestarem orientação jurídica às atendidas. Todas as vítimas de violência poderão encontrar atendimento nos Núcleos de Atendimento Direito Delas.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Nós da Ordem temos como papel social também defender as mulheres. Infelizmente, atualmente vivemos um estado de violência, a cada sete minutos uma mulher é vítima de violência no nosso país, e a cada duas horas uma mulher é assassinada. Com objetivo de mudar esse cenário, a Fundação de Assistência Judiciária passará a atender mulheres vítimas de violência, porque nós precisamos levar informação sobre seus direitos para essas mulheres”, comentou a vice-presidente da OAB-DF, Lenda Tariana.



Fonte: JBR

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.