Pesquisar
Close this search box.

Itamaraty desaconselha visitas a Machu Picchu, no Peru, por onda de protestos

Desde quinta-feira (25), manifestantes bloqueiam acesso ao sítio arqueológico, uma das sete maravilhas do

Itamaraty desaconselha visitas a Machu Picchu, no Peru, por onda de protestos

Desde quinta-feira (25), manifestantes bloqueiam acesso ao sítio arqueológico, uma das sete maravilhas do mundo moderno, em protesto contra a privatização da venda de entradas. Machu Picchu, no Peru
AFP
O Itamaraty orientou nesta terça-feira (30) que turistas brasileiros evitem ir a Machu Picchu, no Peru, por causa da onda de protestos e da greve na região.
Desde quinta-feira (25), moradores e trabalhadores locais fazem manifestações e paralisações no sítio arqueológico, considerado uma das sete maravilhas do mundo moderno. Os manifestantes protestam contra a decisão do governo local de privatizar a venda de ingressos ao parque.
A empresa Joinnus assumiu a comercialização dos ingressos do local e agora os manifestantes consideram que a decisão representa uma “privatização sistemática” da cidade inca.
As paralisações bloquearam o transporte ferroviário de Águas Calientes, cidade de onde saem ônibus que levam os turistas até Machu Picchu.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
Em comunicado, o Itamaraty desaconselha que turistas tentem entrar no distrito do parque por qualquer via – também é possível chegar ao sítio arqueológico por meio de uma trilha. Aos brasileiros que estão em Águas Calientes, o órgão pediu que os turistas entrem em contato com o Iperú, a entidade do governo peruano responsável pela assistência turística.
Símbolo do Peru, Machu Picchu ainda é destino muito procurado por brasileiros; veja alguns depoimentos
Veja, abaixo, a nota na íntegra:
A Embaixada do Brasil em Lima informa que desde o dia 25/01/24 têm sido registrados na região de Machu Picchu protestos e greves, envolvendo inclusive a prestação de serviços a turistas.
Desde aquela data está bloqueado o transporte ferroviário para a cidade de Aguas Calientes (também conhecida como Machu Picchu Pueblo), principal forma de acesso ao Santuário Histórico de Machu Picchu. Não há, no momento, previsão de restauração do serviço de transporte ferroviário.
A Embaixada orienta turistas brasileiros que estejam em Aguas Calientes a evitar deslocamentos desnecessários e a entrar em contato com a IPERÚ – entidade do governo peruano que é responsável pela assistência ao turista e está coordenando a evacuação de turistas do local.
Para além de seu canal de atendimento por Whatsapp (+51 944 492 314), a IPERÚ circulou formulário de cadastro para turistas que estejam retidos na região (https://forms.gle/vXf1U7sJC8CqqagG8), a fim de facilitar sua eventual evacuação.
Adicionalmente, a Embaixada orienta turistas brasileiros no Peru a não tentarem ingressar no distrito de Machu Picchu até que esteja superado o contexto de greves e protestos. Visitas ao local devem ser evitadas inclusive com respeito a vias de acesso alternativas (caminhadas/trilhas).
A Embaixada segue acompanhando de perto a situação e mantendo contato com as autoridades locais. Cidadãos brasileiros podem entrar em contato com a Embaixada por -mail (consular.lima@itamaraty.gov.br) e, em caso de emergências, pelo telefone do plantão consular (+51 985 039 263).

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.
Pesquisar
Close this search box.

BUSCAR

MENU