Pesquisar
Close this search box.

Militares iniciam ações de combate à dengue

Atualmente, a capital federal conta com 750 agentes empenhados em exterminar os focos de


Atualmente, a capital federal conta com 750 agentes empenhados em exterminar os focos de Aedes aegypti das regiões administrativas

O Governo do Distrito Federal (GDF) treinou, nesta segunda-feira (29), 200 militares do Exército Brasileiro para agir na luta contra o mosquito Aedes aegypti, agente transmissor da dengue. Além desses, outros 20 soldados foram capacitados para dirigir os veículos para aplicação de ultrabaixo volume (UBV), popularmente conhecido como “fumacê”, e outros 30 ajudarão no atendimento a pacientes infectados.

O treinamento foi realizado na Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências de Saúde (Fepecs). Para os militares que vão atuar como agente de vigilância ambiental em Saúde (AVA), visitando casas em busca de focos de transmissão da dengue, a capacitação durou um dia – nesta quarta (31), eles já iniciam suas atividades em Ceilândia e em Samambaia, cidades onde há uma grande concentração de casos da doença.

“Os motoristas do fumacê terão dois dias a mais de treinamento, para que possam conhecer a fundo o equipamento e a maneira correta de fazer a pulverização, além de aprender a usar adequadamente os equipamentos de proteção individual necessários para aqueles que vão lidar com o inseticida”, explica o diretor de Vigilância Ambiental em Saúde, Jadir Costa Filho. “Na próxima quinta-feira, eles começam a atuar em todo o DF.”

Atualmente, a capital federal conta com aproximadamente 750 agentes empenhados em exterminar os focos de Aedes aegypti de todas as suas 35 regiões administrativas. Diante da alta dos casos de dengue, no entanto, a união de esforços entre GDF e Exército Brasileiro se fez mais uma vez necessária – nos primeiros 25 dias do ano, o Distrito Federal somou 16.570 casos notificados da doença.

“Essa não é a primeira vez que atuamos junto ao governo no combate à dengue. Em 2019, também fomos convocados para ajudar no controle da doença”, aponta o tenente-coronel Osmar Rodrigues Junior, chefe da comunicação social do Comando Militar do Planalto. “Além de ajudar na prevenção, cedemos duas ambulâncias e 24 camas, para serem usadas nas tendas de acolhimento aos pacientes que estão espalhadas pelo DF.”

Apoio no atendimento

As equipes que atuarão nas ambulâncias, compostas por motorista, padioleiro e técnico de enfermagem, também são formadas por militares. Nesta segunda, 30 deles passaram por uma capacitação oferecida pelo GDF para lidar com pacientes infectados pelo mosquito da dengue. O treinamento ocorreu pela manhã; e, já no período da tarde, o reforço entrou em ação.

De acordo com a Secretaria de Saúde (SES-DF), as duas ambulâncias vão atender as regiões de saúde Oeste (Ceilândia, Sol Nascente/Pôr do Sol e Brazlândia) e Sudoeste (Samambaia e Recanto das Emas). Os veículos vão suprir as necessidades de cinco tendas de acolhimento a pacientes, montadas para reforçar o atendimento oferecido em postos de saúde e hospitais de áreas críticas.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“É importante lembrar que também ampliamos o atendimento em cinco UBSs [unidades básicas de saúde]. Agora, a UBS 1 do Guará, a UBS 1 do Núcleo Bandeirante, a UBS 1 do Riacho Fundo, a UBS 1 do Riacho Fundo II e a UBS 2 de Ceilândia estão funcionando aos sábados e domingos”, informa o secretário adjunto de Assistência à Saúde da SES-DF, Luciano Moresco Agrizzi.

Outras 52 UBSs têm oferecido atendimento aos sábados, e 11 delas estenderam o horário de funcionamento, passando a receber pacientes até as 22h. Confira no site da SES-DF a localização e o expediente de cada uma das unidades básicas de saúde.

As informações são da Agência Brasília


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Fonte: JBR

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.