Pesquisar
Close this search box.

MPDFT realiza vistoria técnica no boulevard do Túnel Rei Pelé

Objetivo é fazer levantamento sobre a mobilidade ativa e acessibilidade para sugerir melhorias ao


Objetivo é fazer levantamento sobre a mobilidade ativa e acessibilidade para sugerir melhorias ao GDF e garantir a participação da sociedade civil no debate sobre as benfeitorias da região

Pouco mais de um mês após a inauguração do boulevard do Túnel Rei Pelé, em Taguatinga, a obra de urbanização recebeu a visita técnica do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e de várias entidades de mobilidade ativa. Técnicos da Secretaria de Obras e da Administração de Taguatinga também participaram. 

Foram verificados diversos pontos sobre mobilidade ativa, acessibilidade de pedestres, ciclovia, trânsito de ônibus e demais veículos motorizados, cruzamentos, sinalização vertical e horizontal, mobiliário urbano e outros. Além da parte superior do túnel que corta o centro de Taguatinga, também foram visitadas a Avenida Comercial e a Avenida das Palmeiras, regiões que abrigam escolas, faculdades, templos religiosos, comércios, e, por isso, recebem fluxo intenso de pedestres e veículos. 

“Essa parte superior do Túnel Rei Pelé, que chamam de boulevard, tem aspectos positivos, mas uma boa parte ainda não está concluída, sobretudo a parte de mobilidade ativa. Mas ainda há tempo. A intenção é oferecer contribuições à Secretaria de Obras e à Administração de Taguatinga para que as pessoas com deficiência, pedestres e ciclistas sejam contempladas”, esclarece o promotor de Justiça Dênio Augusto Moura, promotor de Justiça da Promotoria da Ordem Urbanística (Prourb) do MPDFT. 

O promotor destaca a falta da arborização e a preferência aos modais de transporte mais frágeis como pontos a serem reavaliados pela gestão pública. “O conceito de boulevard remete à uma área acolhedora onde as pessoas possam andar com tranquilidade e conforto. E a ciclovia foi construída no canteiro central do boulevard, mas as conexões ainda não foram concluídas”. 

Para o coordenador do movimento Andar a Pé, Wilde Cardoso, ainda é possível fazer correções no projeto em relação à mobilidade ativa e intervir para que as obras que ainda não foram executadas sejam realizadas da maneira mais adequada. “Taguatinga é uma grande cidade e merece o melhor. O comércio aqui é muito intenso e vale a pena investir em acessibilidade para facilitar as pessoas a entrarem nas lojas. Quanto mais acessível, mas ativo será o comércio da região. Viemos para analisar e contribuir da melhor maneira”, pontua. 

Segundo o Governo do Distrito Federal, o boulevard recebeu o investimento de R$ 3,1 milhões e vai beneficiar cerca de 30 mil pessoas que circulam pelo local diariamente. Foram instalados 173 novos postes, 13 pontos em rede aérea e 364 lâmpadas de LED. A Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) plantou 15 mil metros de grama, 700 metros de canteiros ornamentais, oito mil flores, 150 arbustos e 35 ipês de cores variadas. 

Acessibilidade 

O presidente da Comissão de Defesa das Pessoas Com Deficiência (PCD) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), subseção de Taguatinga, Eduardo Moreira, que também é PCD, avalia que é possível melhorar muito a acessibilidade. “Os semáforos de Taguatinga, sobretudo aqui no centro, precisa ter avisos sonoros e braile. O piso tátil também é essencial para humanizar e incluir todas as pessoas”. 


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O advogado lamenta ainda que o Distrito Federal prioriza os veículos motorizados. “Precisamos pensar a cidade para pessoas e não apenas para carros e motocicletas. Os comerciantes precisam lembrar que dependem de clientes, inclusive, daqueles com deficiência. Então é importante que as lojas tenham rampas bem construídas para receber os PCDs e oferecer dignidade a todos”. 

Os técnicos da Secretaria de Obras e Infraestrutura que acompanharam a visita técnica preferiram não falar com a reportagem. Procurada, a assessoria de comunicação do órgão informou, por meio de nota que “essas visitas técnicas são corriqueiras e é uma grande satisfação para a pasta apresentar todos os detalhes técnicos das nossas obras a representantes do MPDFT, entidades da sociedade civil, universidades, entre outros”. 

E conclui: “Sempre que possível, tentamos atender prontamente todas as solicitações de visitas técnicas que recebemos para as obras tocadas pela pasta, em andamento ou concluídas. Entendemos que essa troca de informações e conhecimento é de suma importância para que entreguemos à população obras cada vez melhores, com transparência e qualidade”. 

De acordo com o promotor Dênio Augusto de Oliveira Moura, o MPDFT produzirá relatório com as sugestões e contribuições da sociedade e enviará aos gestores públicos dos órgãos competentes. Ele lidera a Rede Urbanidade, iniciativa do MPDFT, e que reúne arquiteto, urbanistas, engenheiros, ativistas e sociedade civil organizada para promover a mobilidade sustentável e o transporte público no DF. Entidades como Rede Cidadã de Taguatinga (Recita), ONG Rodas da Paz, Blog Brasília para Pessoas e Movimento Andar a Pé também participaram da ação. 


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 



Fonte: JBR

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.