Pesquisar
Close this search box.

Os riscos de uma casa vazia nas férias

Entre janeiro e fevereiro do ano passado, ocorreram 4.757 furtos a domicílio, e neste


Entre janeiro e fevereiro do ano passado, ocorreram 4.757 furtos a domicílio, e neste ano, no mesmo período, houve 3.985, uma redução de 16,2%

Com a chegada das férias, vêm as viagens. Mudar os ares, sair de casa, dar um passeio pode renovar a energia, mas é necessário ficar atento com a casa para o retorno ao lar não ser um susto. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o crime de furto a domicílio pode passar a se tornar mais comum com o período, em que as casas passam a ficar vazias.

Ainda assim, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), em janeiro e fevereiro deste ano, houve uma redução nos casos desse tipo de crime, numa comparação com o ano de 2022. Entre janeiro e fevereiro do ano passado, ocorreram 4.757 casos, e neste ano, no mesmo período, houve 3.985, uma redução de 16,2%. O cenário é menos dramático do que poderia ser, mas ainda demanda cuidado.

Segundo a PMDF, uma casa com sinais de abandono se torna mais atrativa para que esses tipos de crimes ocorram. Primeiramente, para evitar transparecer o abandono, o recomendado é não deixar que o imóvel fique, 100% do tempo, vazio. Pedir para que vizinhos ou parentes frequentem o local constantemente, e contactá-los de tempos em tempos para saber se está tudo em ordem é uma medida de segurança viável. Segundo especialistas da Polícia Militar, ladrões costumam procurar casas desabitadas tanto para furtos quanto para outras ações criminosas, como esconder drogas ou armas.

Mas não é só pela visão da rua que se pode descobrir se uma casa está vazia ou não. O morador deve tomar cuidado especial com o ato de postar informações sobre datas em que estará fora do domicílio, ou comentar com estranhos sobre viagens. A informação é, como sempre, um ativo importante para lidar com a própria segurança.

Barreiras físicas também são recomendadas. Segundo a Polícia Civil (PCDF), janelas gradeadas e portas com tranca reforçada têm um efeito duplo de proteção. A polícia acredita que bandidos procuram facilidade e, em menos casos, tentam arrancar uma grade ou uma barreira mais resistente. O esforço, no entanto, pode ser atiçado pela recompensa. Um cuidado com bens, para evitar isso, é não deixar em casa jóias ou dinheiro, mesmo que dentro de cofres.

No momento de sair, uma atitude que pode chamar a atenção de pessoas mal intencionadas é acomodar malas em veículos. De novo, a ideia é não deixar que qualquer um saiba que o morador está saindo. Esse procedimento tem que ser feito na garagem, de modo a não mostrar que a família está de partida.

Além de todas as orientações, dentro do possível, sugere-se a instalação de alarmes interligados a casas de parentes ou vizinhos. E no caso de qualquer comportamento estranho, de pessoas rondando a residência, a Polícia Militar deve ser contactada pelo telefone 190.

De modo geral, a aproximação do final do ano, faz com que a circulação de pessoas aumente e, também, a circulação de dinheiro, principalmente nos centros comerciais da capital federal. O que pode se mostrar um atrativo para pessoas mal intencionadas.

E para responder a isso, a PMDF realiza todos os anos, do início do mês de dezembro até o início de janeiro do ano seguinte, a Operação “Policiamento de Intensificação de Natal (PIN)”, que antecede as festividades do final de ano. Por essa operação, o policiamento diário é reforçado e o patrulhamento é feito na área central de Brasília e em todo o DF.

A SSP/DF ressalta a importância do registro de ocorrências pela população para subsidiar a elaboração de estudos e manchas criminais que indicam dias, horários e locais de maior incidência de cada crime, entre outras informações relevantes para o processo de investigação.

Esses levantamentos são utilizados na elaboração de estratégias para o policiamento ostensivo da Polícia Militar do DF (PMDF), bem como para a identificação e desarticulação de possíveis grupos especializados por parte da Polícia Civil do DF (PCDF).

Em caso de emergência, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) está disponível pelo número 190



Fonte: JBR

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.