Pesquisar
Close this search box.

Paranoá recebe bacias de contenção para evitar enxurradas

Coube à Novacap realizar o projeto para a construção de três bacias. A maior


Coube à Novacap realizar o projeto para a construção de três bacias. A maior delas tem 780 metros e as demais, 72 m e 32 m, respectivamente

Equipes do Governo do Distrito Federal (GDF) tem trabalhado em um terreno no Paranoá, localizado entre o Estádio JK e a futura Escola Técnica da região, para a destruição de bacias de contenção. O serviço está previsto para ser finalizado amanhã (16) e consiste na criação de novos bolsões e na cobertura da erosão.

“No início do mês de dezembro houve uma grande chuva no período da tarde no Paranoá. A água invadiu a Escola Técnica e o Estádio JK. No dia seguinte, ficou determinado que faríamos a reposição das bacias de contenção para proteger a rodovia que passa por ali, a DF-005”, explica o supervisor da Divisão de Obras Diretas da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Paulo Giovani.

Coube à Novacap realizar o projeto para a construção de três bacias. A maior delas tem 780 metros e as demais, 72 m e 32 m, respectivamente. Juntas, elas têm capacidade de armazenar 580 metros cúbicos, o equivalente a aproximadamente 30 piscinas residenciais. “Essa é uma boa capacidade de armazenamento de água. O que nos dá tranquilidade para não ter novos alagamentos e nem abrir novas erosões no local”, completa Giovani.

Em parceria com a Administração Regional do Paranoá e o GDF Presente, a Novacap também combate a erosão. “Foi uma ação imediata do governo, que logo após a chuva entrou com a área técnica para resolver a situação”, afirmou o gerente de Execução de Obras da Administração Regional do Paranoá, Otoniel Sousa.

Cerca de duas mil toneladas de restos de obras estão sendo utilizadas para conter o desgaste do solo. O material é conduzido ao terreno por caminhões, onde é aterrado e compactado com auxílio de maquinário. “Essa erosão abriu bastante na última chuva. Para fazer a contenção utilizamos 170 caminhões que trazem material grosso de resto de obra para fazer o arremate”, explica o coordenador do Polo Leste do GDF Presente, Júnior Carvalho.

Além disso, as bocas de lobo nas proximidades do endereço passam por uma desobstrução. O objetivo é evitar grandes volumes de enxurradas futuramente.

As informações são da Agência Brasília


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Fonte: JBR

Fique ligado em tudo o que acontece em Brasília

Cadastra-se para receber atualizações exclusivas, novidades e descontos exclusivos.

Você sabia que o Agita Brasília está no Facebook, Instagram, Telegram, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.